Menu Fechar

Dia Mundial da Poesia_21 de março de 2024

O Dia Mundial da Poesia (e da árvore) é celebrado anualmente a 21 de março e tem o objetivo salientar a importância da poesia enquanto manifestação artística comum a toda a Humanidade.

A poesia tem uma importância fundamental para a formação crítico-reflexiva do leitor. Ela possibilita ao homem o encontro com a cultura humanística como espaço de revelação e reconhecimento do prazer, da fantasia e da realidade em que vivemos. Viver a poesia é viver o mundo – comunicar por meio dos sentidos com os acontecimentos que se passam ao nosso redor.

Viver o estado poético numa época de tanta fragmentação é uma luta constante contra todo o processo de materialização que caminha para a destruição do ser humano. A poesia, enquanto género é uma arte. Portanto, a escola, enquanto instituição social, tem obrigação ética, política e social de utilizar a poesia nas suas vertentes textuais por ser um género que possibilita ao aluno um encontro consigo mesmo e com os outros.

A modernidade tecnológica do saber imediato e produtivo no capitalismo, para atender ao mercado de consumo, tem afastado das práticas escolares a experiência vivenciada pela construção de poemas e declamações. A poesia é um meio privilegiado para despertar o amor pela língua materna. A rima, o ritmo e a sonoridade permitem a descoberta da linguagem escrita. Um poema permite que se lancem múltiplas leituras sobre ele, pois não é um texto de interpretação e significação únicas.

No texto poético a leitura transcende a realidade. Cada indivíduo pode identificar-se no texto lido.

Vamos ler poesia! A nossa biblioteca tem um vasto espólio de livros de poesia de grande qualidade! 

    Melgaço terra de poetas:

Melgaço é aquele abraço

           Sem fronteiras,

Que desliza por vinhedos,

           Fragas e ribeiras,

           Acenando à Galiza

E sussurrando ao Minho seus

               segredos…!

            Vem, Amigo,

Sentir porque choram de frio

As margens do rio em pleno

            Inverno!

Descobrir a natureza em pranto,

       Naquelas almas serranas

Vestidas de negro, imaculadas de

                         branco!

  Partilhar do gesto fraterno.

Quando a Serra desce às portas

                 Da ribeira

Para abraçar a Vila em dia de feira!

Escutar a Canção do Emigrante,

         Na hora longa da partida

E num curto instante de chegada!

Percorrer as pedras da velha

                  Calçada,

De Fiães a Castro Laboreiro,

       De Paderne até à Orada!…

Melgaço…feito de pedra morena,

           Torre de Menagem

Legenda da coragem de Inês

                  Negra!…

         Mais, muito mais.

   Do que mil e uma matizes

Pintados em paisagem natural,

             Melgaço, Amigo,

        É luta, caminho raízes.

 Pedaço deste nosso Portugal!

Retirado de: Viagens

Francisco José Carneiro Fernandes

ANCORENSIS – Cooperativa de Ensino, C.R.L.

Vila Praia de Âncora 2000

SORRISOS DA JANELA

Do mais alto ponto, da janela,

Eu vi-te a passar à minha porta;

Chamei de lá por ti e tu sorriste…

Mas teus cabelos pretos, tão risonhos,

Do dia em que te vi e tu me viste,

Puseram-se sisudos e tristonhos…

É meu ser fiel lembrança triste

Agora que te vejo ao longe em sonhos.

Continuo, por isso, à janela

E ainda que em ti eu esteja ausente

Qualquer hora é para renascer;

Manhãs de nevoeiro, denso, quente,

Nesta agonia de nunca mais te ver…

DO SUBLIME AO GROTESCO_  POESIAS

João Vilas

Edição ANCORENSIS 2000 p.35

  • Programação da comemoração do Dia Mundial da Poesia:
    • estendal de poesia – textos alusivos à poesia em estendais espalhados pela vila com trabalhos elaborados pelo 1º ciclo assim como público em geral e lares/salas de convívio- atividade da Rede de Bibliotecas de Melgaço;
    • decoração e exposição de livros alusivos à temática na BE;
    • da Rede de Bibliotecas de Melgaço, dia 19 de março de 2024- a atividade Verso com Reverso-Declamação de poesia, a ter lugar na Biblioteca da Escola Superior de Desporto e Lazer, em Melgaço. A atividade envolveu uma turma do 6º A.