DIA DO CINEMA


No âmbito da comemoração do Dia Mundial da sétima arte (5 de novembro) realizaram-se, no dia 2 de novembro de 2016, na Casa da Cultura de Melgaço, duas sessões de sensibilização para a literacia do audiovisual, dirigida aos alunos do 3º ciclo, conduzidas por Alexandre Martins, subordinadas ao título “Uma Viagem através do Documentário”.
Esta atividade, integrada no PAA, resultou da articulação levada a cabo entre a Associação AO NORTE, a Direção do Agrupamento de Escolas de Melgaço e os Serviços Educativos da Câmara Municipal de Melgaço. Participaram 174 alunos e 17 professores.
O público assistente contactou com a evolução do filme documentário, desde 1895 a 2015 acedendo à exemplificação das caraterísticas deste género cinematográfico e da sua relevância na compreensão das sociedades contemporâneas e da vida das pessoas. De entre os excertos apresentados destacaram-se os seguintes:“ A saída dos operários da fábrica” (Lumière, 1895); “Nanook of the North /Nanook, o Esquimó, (Robert Flaherty, 1922); “ Man With A Movie Camera /Um Homem com uma câmara (Dziga Vertov,1929), filme que contribuiu para sedimentar o género do documentário, entre muitos outros, como por exemplo: Supersize Me/ 30 dias de fast-food ( Morgan Superlock, 2004); Les glaneurs et la glaneuse / os respigadores ( Agnès Varda, 2004); “As armas e o Povo” de Glauber Rocha,1975; “Outro país” de Sérgio Tréfaut, 1999; “Buena Vista, Social Club de Win Wenders,1999.
Há ainda a destacar a visualização do excerto Dust do filme Behemoth /Bei xi mo shou de Zhao Liang a quem foi atribuído o Prémio Jean Loup Passek 2016, melhor longa-metragem internacional, informação que permitiu a sensibilização do público presente para um evento de cariz internacional que se realiza todos os anos em Melgaço, no âmbito do qual se têm debatido temas / problemas contundentes da atualidade, através do filme documentário: FILMES DO HOMEM – Festival Internacional de Documentário de Melgaço.
Realçada foi, também, a existência de um museu de cinema, na comunidade local, resultante de histórias de amizade e emigração que contribuíram para a construção de uma identidade singular plasmada em diversos meios de comunicação cuja complexidade deve ser analisada, descodificada e compreendida.
Ao patentear uma amostra bastante representativa das diversas formas de expressão que o documentário assumiu, ao longo de um século, o público presente tomou consciência da sua própria história, e das múltiplas abordagens passíveis de retratar a “realidade”, acedendo a pistas para uma melhor decifração das mesmas, aprendendo, assim, a ver, analisar, interpretar as imagens conferindo-lhes sentido, sem fazer tábua rasa dos contextos político-socioculturais em que emergiram.
A atividade mereceu uma apreciação bastante positiva por parte dos discentes e docentes tendo contribuído para a apropriação progressiva da literacia cinematográfica, por parte do público escolar melgacense.


 
 
 
 
 
 

Atividade recente